Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 30 de julho de 2010

D. TÊCA: delícias no bufê


Publicado por Portal Verdes Mares

Muito tempo para o almoço não é um privilégio de todos. Uma opção para comer rápido e bem são os self-services. Recém-inaugurado em Fortaleza, o Dona Têca, uma franquia do Rio Grande do Norte, já vem conquistando o paladar cearense.

Com um ótimo serviço para os amantes da boa culinária e do bom gosto, o restaurante, localizado no Shopping Pátio Dom Luis, oferece pratos da culinária tradicional, especialidades regionais, carnes, peixes, saladas e camarão. Tudo isso em um ambiente aconchegante para agradar aos que apreciam uma refeição que agregue sabor, qualidade, saúde e equilíbrio nutricional.

O diferencial do Dona Têca começa na escolha dos produtos que compõem o cardápio e vai até o excelente atendimento e sugestão dos garçons.

Tel.: (85) 3215.4527
Av. Dom Luis, 1200, loja 212 - Shopping Pátio Dom Luis - Meireles.

Fonte: http://guiadosabor.verdesmares.com.br/guia/materias/d-teca-delicias-no-bufe/

A arte de comer com prazer e sem culpa. Alimentação saudável não significa ausência dos prazeres gastronômicos


Um assunto que anda na boca do povo é a alimentação. A mudança nos hábitos alimentares da população tem preocupado os especialistas (nutricionistas/endocrinologistas) e gerado discussões em torno de como trabalhar a conscientização e a reeducação alimentar. Cuidar da alimentação sem deixar de lado os prazeres que a culinária nos proporciona é realmente um desafio, principalmente para aqueles que possuem hábitos alimentares pouco positivos ao organismo. A proposta de uma alimentação saudável assusta, pois logo se associa ao mito da ausência dos prazeres gastronômicos. Comer bem não é comer muito, assim como comer pouco, não é comer bem. Na verdade, uma alimentação balanceada não significa de forma alguma comer sem sabor e sem prazer, mas sim de forma equilibrada e de acordo com as suas necessidades nutricionais. Ao longo da vida, as necessidades nutricionais modificam-se e sofrem alterações de acordo com a nossa idade, estilo de vida e metabolismo. Uma alimentação saudável e equilibrada é essencial para a prevenção de doenças e para a manutenção e recuperação da saúde. Para se obter uma alimentação balanceada, o primeiro passo é procurar um profissional da área da saúde capacitado a elaborar um cardápio adaptado ao seu estilo de vida e suas necessidades nutricionais, pois, cada um possui uma particularidade. O equilíbrio e o sucesso de uma boa alimentação estão na qualidade e na quantidade do que consumimos. Uma pequena alteração na rotina alimentar pode trazer grandes resultados aos que se propõe a melhorar a qualidade de vida através de algumas mudanças na alimentação. A alimentação é considerada saudável quando possui os grupos de alimentos - carnes, frutas, verduras, legumes, cereais, leite e derivados e equilibrada quando estes alimentos oferecem quantidades balanceadas de nutrientes - carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, minerais e fibras. em porções adequadas para cada individuo. Melhore seus hábitos alimentares adotando algumas mudanças no seu dia-a-dia e mantenha uma vida saudável e de boa qualidade:
  • Não adote dietas radicais: procure sempre um especialista apto a elaborar um cardápio de acordo com as suas necessidades nutricionais;
  • Respeite a quantidade e a qualidade dos alimentos: Os alimentos devem ser ingeridos em quantidade e qualidade adequadas para suprir todas as necessidades nutricionais sem excesso de calorias. Cada pessoa precisa de um plano alimentar específico;
  • Evite a monotonia: Varie bastante dentre os alimentos de cada grupo. Invente novos pratos;
  • Coma sempre nos mesmos horários;
  • Alimente-se sem pressa;
  • Beba bastante líquido: Mantenha seu organismo hidratado. Água mineral e sucos sem açúcar;
  • Procure ter na despensa alimentos ricos em nutrientes saudáveis: barra de cereais, bolacha integral, fruta ou iogurte natural. Assim, terá sempre algo saudável para comer;
  • Utilize adoçante sempre que puder;
  • Dê preferência às carnes magras: Prepare de preferência cozidas, grelhadas ou assadas;
  • Bebidas alcoólicas são calóricas: Consuma esporadicamente e em pequena quantidade (de preferência nos fins de semana). Evite consumir petiscos gordurosos.
  • No supermercado: Evite ir às compras com fome, evitando assim as tentações das prateleiras. Sempre olhe a informação nutricional nos rótulos dos alimentos: calorias, quantidades de carboidratos, gorduras, fibras, sódio.
  • Movimente-se: Caminhadas regulares, ao menos 3 vezes por semana pela vizinhança, por cerca de 30 a 40 minutos auxiliam na melhora da qualidade de vida.
A quantidade de alimentos que cada pessoa deve ingerir depende do valor calórico total (VCT) que é o valor de energia que precisamos para viver.
Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Associação Brasileira de Nutrição

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Beneficios da Banana


A banana que é uma fonte de vitaminas e energia, possui muitos benefícios para o nosso corpo.

Consumir apenas duas bananas você já terá energia para uma hora e meia de serviço pesado, ela é uma fonte rica de energia e contém três tipos de açúcares naturais: sacarose, frutose e glucose.

Além do mais que a banana ajuda na prevencão de doenças.

Benefícios da banana - contra as Doenças

Depressão

Pressão Arterial

Dor de cabeça

Insónia

Nervos

Para os fumantes, as bananas com as vitaminas B6 e B12 ajudam o corpo a se recuperar dos efeitos da falta de nicotina.

Os pesquisadores recomendam comer duas ou três bananas por dia que vai de 20 e 30 gramas de hidratos de carbono e entre 80 e 120 quilocalorias.

A banana também traz outros benefícios como: bom humor, energia, calma, reforça a massa muscular, vitaminas e muito mais.

Então procure ter o costume de comer bananas diariamente.

segunda-feira, 26 de julho de 2010


HISTÓRIA DO MACARRÃO
A palavra "macarrão" vem do grego makària (caldo de carne enriquecido por pelotinhas de farinha de trigo e por cereais, cerca de 25 séculos atrás). A palavra pasta (massa dos italianos) vem do grego pastillos (pastillos é citado nos textos do poeta Horácio, especialista em versos culinários). Textos antigos relatam que os assírios e babilônios, por volta de 2.500 a.C., já conheciam uma pasta cozida à base de cereais e água, que pode ser considerado o avô do nosso atual macarrão.

A primeira referência e mais próxima ao Ocidente do macarrão cozido está no Talmud de Jerusalém, o livro que traz as leis judaicas, do século V a.C. O itriyah dos antigos hebreus era uma espécie de massa chata usada em cerimônias religiosas.

Na Roma antiga, século VII a.C., comia-se uma papa de farinha cozida em água, chamada pultes. Com legumes e carne eram chamadas de puls púnica. Com queijo fresco e mel, puls Julia.

Finalmente, os latinos contemporâneos de Cristo já se deliciavam com um prato batizado de macco (caldo de favas e massas de trigo e água). Entretanto, na Itália, já em 1279, 16 anos antes do retorno de Marco Pólo foi registrada uma cesta de massas no inventário de bens de um soldado genovês. A palavra maccaronis, usada no inventário, seria derivada de maccari, de um antigo dialeto da Sicília, que significa achatar ou esmagar com força, que vem do grego makar, que quer dizer sagrado.

Fonte: http://www.abaga.com.br/modules.php?name=Content&pa=showpage&pid=33

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Pudim de tapioca com calda de coco queimado

Rendimento: 8 porções

Ingredientes
- 75 g de tapioca granulada
- 375 ml de creme fresco
- 200 ml de leite de coco
- 100 ml de leite
- 1 lata de leite condensado
- 2 ovos
- 2 gemas

Calda para colocar na fôrma
- 200 g de açúcar
- 70 ml de água

Calda de coco queimado
- 500 g de açúcar
- 200 ml de leite de coco
- 100 g de coco fresco ralado
- 100 ml de água
- 1 anis-estrelado

Modo de preparo
Hidrate a tapioca com o creme fresco e o leite de coco por pelo menos duas horas e reserve. Faça um caramelo para a fôrma com o açúcar derretido e a água. Espalhe numa forma para pudim e reserve.

Prepare a calda de coco caramelizando o acúcar e juntando o anis, a água e o leite de coco. Cozinhe até obter o ponto fr fio grosso.

Aqueça o coco ralado em uma frigideira, mexendo sempre, até dourar. Junte à calda e reserve.

Misture os ovos, as gemas e o leite condensado. Mexa bem, coe numa peneira fina e junte à tapioca hidratada.

Coloque a mistura na fôrma e asse em banho-maria a 150º por 40 minutos ou até firmar. Resfrie o pudim e sirva com a calda quente.

Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/folha/comida/ult10005u413903.shtml

sexta-feira, 16 de julho de 2010


Você Sabia?

CREME DE CHANTILLY - O universo deve o creme a um doido fantástico, Fritz Carl Vatel (1635-1671). Um doido que morreu cedo, aos 36 anos de idade. Aliás, um doido que se suicidou a fim de não se desonrar. Um empregado de salão, rigorosamente suíço, Vatel provocou a atenção dos senhores da casa palacial de Chantilly e, jovem ainda, pelo seu charme e pela sua competência, ficou famoso nas cortes da França.
Impossível desvendar se a preciosidade aconteceu propositadamente- ou acidentalmente. Verdade que o leite da região de Chantilly, onde Vatel se alojou aos 27 anos de vida , era mais gorduroso e , por isso mesmo, mais apropriado à bateção que o transformaria numa pasta vaporosa e densa. Melhor: depois das suas experiencias iniciais, ao resultado da sua combinação, Vatel adicionou açúcar. Maravilha . Imbatível maravilha, o creme Chantilly.
Fonte: "A cozinha Clássica" de Silvio Lancellotti

terça-feira, 13 de julho de 2010

CHOCOLATES: BENEFÍCIOS X MALEFÍCIOS


É saboroso, auxilia o raciocínio, o coração e o bom colesterol. Mas também pode ocasionar fortes dores de cabeça e algumas irritações, entre outros probleminhas

Amargo, ao leite, branco, com frutas ou crocante, diet ou light são apenas alguns dos sabores do chocolate, alimento produzido a partir do cacau. Esta delícia, a despeito de adoçar o paladar e a vida, durante muito tempo foi vista apenas por um equivocado lado negativo. Hoje, está mais do que comprovado que traz inúmeros benefícios ao organismo:

“Ele contém teobromina e tiramina, duas substâncias que estimulam os neurônios, melhorando o raciocínio”, informa Renata Cristina Campos Gonçalves, nutricionista que trabalha em parceria com o Ganep no desenvolvimento de projetos especiais.

O chocolate ainda é bacana para o coração, pois age sobre o sistema muscular, favorecendo seu funcionamento. A presença do ácido oléico, encontrado no cacau, pode controlar os triglicérides e aumentar o bom colesterol (HDL), quando o consumo é parcimonioso.

“Aliás, o tipo amargo, feito do cacau puro e sem a adição das gorduras do leite, contém alto teor de flavonóides, antioxidantes que reduzem os riscos das doenças cardiovasculares”, pondera Renata.

Porém, vale frisar novamente que devido ao alto teor calórico não é recomendado que o consumo diário ultrapasse 30g para as pessoas saudáveis. Quem sofre com o excesso de peso, de intolerância a lactose ou a algum componente da fórmula deve procurar variações especiais que não prejudiquem sua condição.

É importante ressaltar também que os chocolates diet devem ser ingeridos apenas por pessoas diabéticas. Engana-se quem imagina que o seu consumo esteja relacionado a uma quantidade menor de calorias; apesar da isenção de açúcar contém quantidade de gorduras superior a dos convencionais.

Para os que buscam algo mais equilibrado em termos nutricionais, a melhor opção é o light que pode conter até 25% menos calorias.

Apesar dos inúmeros benefícios à saúde, pessoas sensíveis a componentes da fórmula podem desenvolver irritações na pele, no estômago e na mucosa intestinal, além de enxaqueca causada pela ação das substâncias vasodilatadoras presentes no chocolate.

Fonte: http://tinyurl.com/25gfyk7

Oi pessoal!

Quem não gosta de Caldinho de Camarão? é delicioso, leve e fácil de fazer. Aproveite!

Aguardo comentarios.

Caldinho de Camarão


4 (sopa) de azeite de oliva
5 de caldo de camarão
1 de cebola picada
2 de leite de coco
500 gramas de camarões médios limpos
1 pimentão verde pequeno picado
6 tomates picados sem sementes
2 dente de alho picados
Salsinha
Coentro
Cebolinha
Pimenta do reino
Sal


Aquecer o azeite em uma panela e acrescentar o alho, pimentão e a cebola. Refogar até que a cebola ficar macia e adicionar metade dos camarões temperados com sal e pimenta-do-reino. Refogar por 2 minutos e acrescentar os tomates, refogar por mais 1 minuto e regar com o caldo. Cozinhar por cerca de 15 minutos retirar do fogo e bater no liquidificador, colocar novamente na panela e adicionar o leite de coco, salsinha, cebolinha e, se gostar, um pouco de coentro. Ferver por mais 6 minutos e temperar com sal e pimenta-do-reino. Temperar os camarões restantes e refogar em um pouco de azeite, quando estiverem cozidos, retirar do fogo e reservar. Distribuir os camarões refogados em canequinhas individuais e cobrir com o caldinho bem quente. Salpicar com mais cebolinha e salsinha.


Fonte: http://tinyurl.com/2982qkv

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Você Sabia?

3_pizzas.jpg

ORIGEM DA PIZZA - Do Egito à Grécia Clássica, até Roma e Pompéia, estiveram presentes alimentos que nos fazem recordar o preparo e o cozimento de nossa atual pizza. No antigo Egito, era costume celebrar o aniversário do Faraó, comendo uma massa achatada e condimentada com ervas aromáticas. Também, têm-se registro de relatos de algumas receitas Babilonesas e, no século VII a.C, um poeta soldado, em seus versos, nos informa que possuía uma massa achatada junto à sua lança - base principal da alimentação de um soldado naqueles tempos.

Muitos consideram a pizza atual como uma invenção da culinária italiana, que começou na sulina cidade de Nápoles. De fato, a pizza é vista com atenção especial pelos napolitanos como o seu tesouro culinário, uma reflexão da História popular: os Lombardos, chegados no sul da Itália depois da queda do Império Romano, trouxeram suas búfalas que, encontrando ambiente ideal na região do Lázio, abasteceram-se de leite para a criação da "mozzarella" e posteriormente, coma descoberta do Novo Mundo, chegaria à Europa o elemento fundamental para a pizza, sem o qual esta jamais poderia existir: o TOMATE. Depois de algumas desconfianças iniciais, o tomate acaba por ingressar triunfalmente na culinária napolitana e a pizza se beneficiará disto, aproximando-se ainda mais do formato com a qual é conhecida na atualidade.

Por volta de 1700 e 1800, a pizza se consolida como um dos pratos da culinária napolitana mais tradicionais e preferidos pelo público. A então Rainha da Itália e Savóia, Margherita (originária da Áustria), esposa de Umberto I, elevou a pizza de suas origens humildes, quando um pizzaiolo, fez três pizzas diferentes para a Rainha. Ela gostou de uma coberta com tomates, mussarela e manjericão. Foi quando a "Pizza Margherita" ganhou o seu nome.

Fonte: http://www.abaga.com.br/modules.php?name=Content&pa=showpage&pid=33